5 Principais doenças no Inverno

Com a chegada do Inverno, devemos começar a ter algumas preocupações no que toca à nossa saúde. Hoje, não falamos apenas em cuidados alimentares e de exercício físico, mas sim nas principais doenças que podem ocorrer no Inverno.

 

Qualquer pessoa pode ficar doente nesta época, seja por falta de cuidados, por algo em falta no seu organismo, ou até devido a alguma doença crónica, a verdade é que ninguém está imune.

Apesar de cada pessoa ser diferente, temos aqui uma lista das doenças mais comuns no Inverno:

Constipação

A mais comum de todas e a que afecta variadas pessoas. Muitas vezes, nem são necessários antibióticos para curar, apenas cuidados redobrados e deixar o corpo descansar, sempre devidamente agasalhado.

Rinite Alérgica

Apesar desta doença ser crónica, os casos de maior incidência ocorrem no Inverno. Os sintomas mais comuns são espirros, coceira no nariz e atrás da orelha, e sensação de muita sonolência. O que provoca a reacção alérgica difere de pessoa para pessoa.

Pneumonia

Esta doença acontece quando a inflamação e a infecção das vias respiratórias atingem os pulmões. Os sintomas são tosse com catarro amarelo ou esverdeado, febre alta, calafrios e, num estado avançado, falta de ar. É sempre necessário consultar um médico.

Otite

Esta doença é, na verdade, uma infecção que afecta a garganta e, muitas vezes, se alastra até ao ouvido. Pode causar dores e febre, ataca principalmente as crianças.

Sinusite

A sinusite é uma doença crónica, onde ocorre a inflamação da mucosa, estruturas que ficam perto do nariz, provocando assim dor na face, bastante secreção nasal e dores de cabeça. As pessoas com asma, rinite alérgica e outras doenças similares, têm tendência a desenvolver sinusite.

 

O Inverno é uma altura complicada no que toca a doenças, sejam auto-imunes ou não. Devemos sempre procurar agasalhos e, até, refeições que combinem com a estação onde estamos inseridos. No fundo, somos nós que nos temos de adaptar às diferenças de tempo. E, nada melhor do que prevenir.

O ideal é procurar sempre um profissional especializado. É um risco muito grande auto-medicar-se e aplicar conhecimentos alheios. Esta lista trata-se apenas de uma lista informativa.

Veja também:

Partilhe este artigo:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter
Share on email